Fale Conosco: +55 (11) 1234-5678

Recursos - Devocional - As contradições do nosso tempo

29Fev2016

“Ora, o fim do mandamento é o amor de um coração puro, e de uma boa consciência, e de uma fé não fingida. Do que, desviando-se alguns, se entregaram a vãs contendas; querendo ser mestres da lei, e não entendendo nem o que dizem nem o que afirmam.” 1 Timóteo 1:5-7

O Apóstolo Paulo deu algumas instruções ao jovem pastor Timóteo a fim de orientá-lo sobre as contradições dos que viviam em Éfeso, e que tentavam andar com Deus, mas ao mesmo tempo, viver uma vida na contramão de tudo que o próprio Deus ensina em Sua Palavra.

Nada diferente do nosso tempo, talvez não haja algo que incomode tanto crédulos e incrédulos, leigos ou sacerdotes, é o discurso, o ensino, dissociado da prática, ou seja, dizer e cobrar algo de alguém que você mesmo não está disposto a fazer.

Isto gera indignação e total descrédito, como por exemplo, a política em nosso país que tornou-se quase sinônimo de ‘sujeira’, corrupção, ganância, o que é profundamente lamentável, pois a política é um instrumento para servir a todos, gerando benefícios mútuos , como diria Lincoln, “aquele governo do povo, para o povo e pelo povo”. A contradição do conceito à prática, provoca aversão a toda classe política, como se todos fossem corruptos e não tivessem compromisso com o fundamento político.

Quando estendemos à vida cristã esta mesma lógica, o Apóstolo Paulo, resumiu uma orientação muito simples à Timóteo, para combater a contradição, dizendo, o fim do mandamento é o amor de um coração puro, de uma boa consciência, e de uma fé não fingida.

Assim, temos que estar atentos às contradições que querem induzir nosso comportamento, nossos pensamentos e propósitos de vida, a se distanciarem dos alicerces que nos garantirão um crescimento saudável e livre das ilusões e sugestões que este mundo oferece com crueldade, propondo atalhos, recompensas e prazeres momentâneos, liberdade sem responsabilidade, enfim, propostas que têm levado muitos ao isolamento, à solidão, para concluírem muitas vezes tardiamente, que nunca deveriam ter se afastado das suas raízes.

“Ora, o Deus de paz, que pelo sangue da aliança eterna tornou a trazer dos mortos a nosso Senhor Jesus Cristo, grande pastor das ovelhas, vos aperfeiçoe em toda a boa obra, para fazerdes a sua vontade, operando em vós o que perante Ele é agradável por Cristo Jesus, ao qual seja glória para todo o sempre. Amém.” Hebreus 13:20-21

Fique com Deus!