Fale Conosco: +55 (11) 1234-5678

Entenda - Como romper os limites

“Se te fatigas correndo com homens que vão a pé, como poderás competir com os que vão a cavalo? Se em terra de paz não te sentes seguro, que farás na floresta do Jordão?” (Jr 12. 5). Isto significa que, se com os pequenos problemas o cristão se desespera, o que fará diante dos grandes problemas? Na vida de qualquer cristão, sempre surgirão dificuldades e obstáculos, mas para que sejam destruídas estas barreiras que impedem a vitória, o cristão precisa: 1. Ter mente renovada - mesmo que tenha limitações, um cristão de mente renovada enfrenta situações difíceis de outra maneira. Paulo sugere em Rm 12.2, que sejamos transformados “pela renovação da nossa mente”. Essa falta de renovação da mente, cedo ou tarde quebra a aliança com Deus e conduz o cristão a uma vida negligente, tomando decisões erradas, com tendência a conviver com a síndrome de Adão, isto é, pondo a culpa em alguém ou em alguma coisa; 2. Ter fé - Alguns cristãos dizem: “Quando eu crescer na fé, vou considerar os problemas proporcionais à minha vitória”. Ninguém pode agradar a Deus sem ter fé (Hb 11.6). Moisés teve limites, Pedro teve limites e, se o cristão sentir que os limites se aproximam, renove sua mente e fale com Deus, peça-Lhe que aumente a sua fé como os discípulos pediram (Lc 17.5). Busque unção; 3. Ter unção - Unção vem da parte de Deus e o cristão a recebe quando assume uma posição (I Jo 2.27). Deus ungiu a Jesus com o Espírito Santo e com poder para fazer o bem e curar os oprimidos do diabo (At 10.38). O cristão também pode receber esta unção com o mesmo propósito. Somente com fé e unção pode o cristão romper limites. Portanto, se as situações aparentemente complicadas fazem com que o cristão se sinta limitado, é exatamente por isso que ele não cresce. Se o cristão vê os limites de hoje como um grande problema, é claro que ele só vai retroceder. Há que se entender que a tribulação pode produzir resultados positivos. Pode ser uma forma de alguém encontrar caminhos para mudanças; ou ainda uma forma de cada um examinar-se a si mesmo, usando seus talentos. Paulo dizia: meu potencial pode não resolver, mas aprendi a suportar porque, “Tudo posso naquele que me fortalece” (Fp 4.13). (EAS)